domingo, 27 de outubro de 2013

Arrancar a barba
Cortar os cabelos
Pra não cortar os pulsos,
Não arrancar a alma
Se eu falo pouco
É pra não ter que mentir
Você fala e eu só ouço
Que é pra não ter que fingir
Uma flor no meio do asfalto não é uma flor rompendo, rasgando o asfalto
Uma flor no meio do asfalto é só uma flor comprimida, espremida, mutilada pelo asfalto

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Conselhos



Evite atalhos amorosos
Evite os amores fáceis
Evite as poesias dóceis
Evite presentes sem letras

Evite atalhos literários
Evite as compilações
Evite os livros de comentadores
Evite os comentadores de livros de comentadores

Evite os atalhos nas respostas
Evite a burocracia que nos faz impotentes
Evite a legalidade que nos faz covardes
Evite o silêncio quando é tempo de espernear

Evite o relógio
Evite a mansidão
Evite o prefácio
Evite a função

Evite atalhos,
Evite atalhos,
Evite atalhos,
Mas aceite o conselho.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Vai... e se der, volta...

Vai, viaja, se alegra, sorri
Volta, vem, vem inteira
Ajunta os pedaços que eu deixei

Ama, experimenta, voa
E se voltar, vem, vem inteira
Ajunta os pedaços que eu deixei

Se valer a pena,
Volta, vem, vem inteira
E torna a fazer graça com a minha graça