domingo, 30 de março de 2014

Onde falta a dialética

Que dizer de um dialético que, ao amar, angustia-se com os meios, não entende o particular, que voa do singular ao universal e vice-versa sem termo médio, que no compartir, sofre, só de pensar em um terceiro termo da unidade, em um outro?

Um comentário: